terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Amizade*Aristóteles

 
Aristóteles enumerava três formas de amizade.
A primeira é aquela em função da utilidade.
Duas pessoas são amigas porque são úteis uma para com a outra.
Não basta que apenas uma delas seja útil à outra; deve haver reciprocidade.
Assim, as duas devem proporcionar algo de útil.
A segunda forma de amizade é aquela em função do prazer que duas pessoas oferecem uma a outra.
E eu não estou falando de prazer sexual, mas sim do prazer desfrutado numa conversa, numa pescaria, em alguma atividade esportiva praticada em conjunto etc.
É o prazer da presença, da companhia agradável.
E é preciso deixar claro que não há problema em se construir uma amizade baseada na utilidade ou no prazer.
O único detalhe é que essas amizades geralmente são frágeis, pois não estão fundadas na "pessoa em si", mas em coisas que aquela pessoa oferece.
E, a partir do momento que aquela pessoa deixa de oferecer aquele prazer ou utilidade, a amizade se acaba. Esse é o ponto.
Já a terceira forma de amizade, segundo Aristóteles, é em função do que ele chama de virtude. É uma amizade baseada na pessoa, em seu caráter, em sua bondade absoluta, estável e imutável. "Eu gosto do fulano porque ele é bom e ponto final". Esse "bom" envolve muitas qualidades geralmente imutáveis, duradouras, ligadas ao caráter daquela pessoa.
O mais legal é que essa amizade baseada na virtude ainda traz consigo o aspecto do prazer e da utilidade,pois; se uma pessoa é realmente boa pra outra, ela também será agradável e útil. É a amizade completa e absoluta. Ela é tranquila e segura.
 
Fraternos Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário